Variações fenotípicas no tratamento da endometriose

Estudos apresentados no congresso da American Society for Reproductive Medicine em outubro deste ano deixam claro que o desafio na procura do controle dos sintomas da endometriose tem que ser persistente. Muito se discutiu porque algumas pacientes não se adaptam a um mesmo tratamento.

Parece que isto está ligado ao fenótipo de cada mulher, logo é ele que poderá determinar o sucesso do tratamento, sugerindo quais tratamentos funcionam e para quem. Fenótipo são características observáveis de um organismo como morfologia, propriedades bioquímicas entre outras. O fenótipo resulta da expressão dos genes do organismo.

Realmente está se tornando evidente que o caminho a seguir no tratamento da endometriose é o da medicina de precisão voltada para “fenótipos” específicos (subtipos) desta doença.