Facebook
Google Plus
Twitter

Praticamente em quase todo o mundo, por vários motivos, entre eles a endometriose, adenomiose e miomatose, uma das cirurgias mais realizadas na mulher é a histerectomia, que consiste na retirada do útero seja ela total (retirada do corpo e do colo uterino) ou parcial (retirada somente do corpo do útero).
Três são os acessos cirúrgicos hoje disponíveis: vaginal, abdominal e vídeo laparoscópica. Apesar da grande maioria das histerectomias ainda ser realizada por via abdominal, esta realidade vem mudando progressivamente.
A técnica cirúrgica evoluiu e hoje a histerectomia laparoscópica deve ser oferecida como uma ótima alternativa para as pacientes candidatas à retirada do útero.
Quanto às vantagens da histerectomia laparoscópica, podemos citar a quase ausência de cicatriz abdominal, um melhor resultado estético, menor desconforto e dor no pós-operatório, proporcionando assim uma alta hospitalar precoce. Além disso, a maioria das pacientes consegue retornar bem mais cedo às suas atividades rotineiras.