Gestrinona e Endometriose

A Gestrinona, um progestágeno sintético, foi muito utilizado para o tratamento da endometriose por mais de três décadas. Verificou-se ser uma droga bastante eficaz, no entanto, quando administrado por via oral apresenta acentuada ocorrência de efeitos adversos colaterais androgênicos o que impediu sua maior aceitação por parte das mulheres.

Por essa razão, uma via não oral, não invasiva, de fácil manejo e posologia confortável (duas vezes na semana) está cada dia sendo mais utilizada. Estudos mostram que o uso da gestrinona através da vagina e sempre que possível associada à ingestão de polifenóis antiinflamatórios é altamente eficiente no combate a endometriose, especialmente nos casos mais avançados e infiltrativos, com reduzida manifestação de efeitos androgênicos.