Estratégia para preservação e otimização da fertilidade das mulheres portadoras de endometriose

Talvez o aspecto mais importante para preservar a fertilidade em pacientes com endometriose seja o desenvolvimento de um plano de tratamento individualizado que leve em consideração a idade do paciente, metas de fertilidade, estágio da doença, duração da infertilidade, dor pélvica e história cirúrgica.

Um caso a parte são os endometriomas ovarianos. Ao pensar em cirurgia devemos considerar cuidadosamente o potencial de possíveis danos à reserva ovariana (quantidade de óvulos). Evidências não suportam a retirada cirúrgica de pequenos endometriomas antes da FIV (Fertilização In Vitro) assim como cirurgias repetidas não melhoram o resultado da fertilidade em particular nos casos de endometriomas ovarianos. Fazer a primeira cirurgia bem feita é, portanto fundamental, pois pacientes que não engravidam após uma única cirurgia devem ser encaminhadas para FIV.

Em pacientes com alto risco de comprometimento do tecido ovariano durante a cirurgia, incluindo aquelas submetidas á retirada bilateral de endometriomas ou com endometriomas recorrentes, a preservação da fertilidade deve ser considerada antes da cirurgia. Nesses casos, a criopreservação de ovo e embrião deve ser discutida. O congelamento de tecido ovariano continua sendo uma estratégia experimental de preservação da fertilidade com benefício incerto em pacientes com endometriose