Endometriose profunda ou infiltrativa

A endometriose profunda ou infiltrativa da pelve e aquela que invade o intestino, constitui um grande desafio mesmo para o ginecologista com experiência no tratamento desta doença. Além do maior impacto sobre a dor, a elevada incidência de complicações cirúrgicas representa um dilema para o cirurgião. O acometimento intestinal pela doença é estimado em 8 a 12% das portadoras de endometriose.
Planejamento pré-operatório é fundamental para decidir a melhor estratégia cirúrgica. É importante explicar a paciente sobre as opções de tratamento, e quando a cirurgia é indicada, é necessário o envolvimento de uma equipe multidisciplinar cirúrgica.
Ao decidir sobre a melhor opção de tratamento para pacientes com endometriose envolvendo o intestino grosso, é importante entender como os fatores clínicos e de imagem interferem na decisão do cirurgião. A cirurgia não é indicada em todas as pacientes com endometriose profunda, mas quando a cirurgia é necessária, uma ressecção completa das lesões se faz necessária para alcançar o melhor resultado para a paciente.
A tendência atual é considerar que em mulheres com endometriose profunda, a cirurgia é o tratamento de escolha para pacientes sintomáticas quando não melhoram com o tratamento clínico medicamentoso.