Bactérias e endometriose

O trato genital inferior humano feminino é constantemente exposto a vários microorganismos, que podem infectar o trato genital superior através da migração ascendente.
Estudo recente levanta a hipótese de que algumas bactérias gram-negativas, em especial a E. coli, presentes na cavidade vaginal podem infectar a parede uterina após ascendente migração destas bactérias, com posterior contaminação do fluido menstrual e peritoneal resultando assim no acúmulo de endotoxinas no ambiente pélvico propiciando um processo inflamatório local.
Neste estudo foi encontrada uma maior colonização microbiana nos fluidos menstruais e pélvicos em mulheres com endometriose do que nos casos controles.
O estudo sugere que a contaminação bacteriana do fluido menstrual e peritoneal, a partir da flora vaginal, possa contribuir para o desenvolvimento da endometriose.